3 de mar de 2017

7 Doenças Femininas para Você Evitar

Dia 8 de março é Dia Internacional da Mulher, esse dia marca a luta por melhores condições de vida e trabalho tudo iniciou pelas mulheres russas 1917, por isso preparamos uma matéria que vai te ajudar a prevenir as doenças que mais atacam as mulheres.
Existem algumas doenças e outra circunstancia que afetam as mulheres  como o cancro da mama (embora os homens podem obtê-lo, também) e os transtornos alimentares (homens podem obtê-lo, também).



Mas também existe uma série de problemas de saúde que são muito menos propensos a ser reconhecido como questões desproporcionalmente em mulheres, o que significa que muitos lutam para obter ajuda e respostas - por meses e até anos.
No topo da lista existem doenças que são mais comuns nas mulheres do que nos homens, como a Lupos 9 em cada 10 pessoas afetadas são as mulheres. É uma doença autoimune, que ocorrem quando o sistema imunitário do corpo ataca a si mesmo.

1. Esclerose Múltipla
Esclerose múltipla é uma doença do sistema nervoso central que afeta mais de 2,1 pessoas em todo o mundo. São também duas a três vezes mais comuns em mulheres do que em homens.
Muitos especialistas classificam Esclerose Múltipla como uma doença autoimune, mas porque nenhum antígeno específico (uma proteína que estimula a resposta imune) foi identificado até à data. A maioria das pessoas com Esclerose Múltipla experimentam seus primeiros sintomas entre 20 e 40 anos, e eles correm a partir da dormência muscular para paralisia e perda da visão. Embora os tratamentos para ajudar a diminuir os sintomas existam, não há atualmente nenhuma cura.

2. Lúpus
O lúpus é uma doença autoimune crónica, em que o sistema imunitário do corpo ataca imperfeitamente os tecidos saudáveis, levando a danos potenciais da pele de uma pessoa, articulações e órgãos diferentes.
Os sintomas variam muito, alguns dos mais comuns são: cansaços extremos, dores de cabeça, inchaço nas articulações, pés, pernas, mãos e olhos e perda de cabelo. Ninguém sabe o que causa lúpus, embora seja claro que os riscos em mulheres é maior: Mais de 90% das pessoas com lúpus são mulheres.
A doença afeta principalmente mulheres jovens que passam anos sem diagnóstico, a doença pode ter um impacto significativo, de longo prazo sobre a sua saúde.
As mulheres podem ter dor nas articulações e fadiga, mas os médicos não pensaria enviá-las para um especialista de rim, por exemplo, até o momento eles são diagnosticados com lúpus, eles poderiam ter graves problemas renais.

3. Síndrome de Fadiga Crônica
Os Centros para Controle e Prevenção de Doenças descreve Síndrome de Fadiga Crônica como uma "doença devastadora e complexa", em que as pessoas experimentam um cansaço esmagador que não melhora com o descanso, bem como uma série de outros sintomas, como: dor muscular, perda de memória e insônia. Tarefas básicas, como vestir ou tomar banho ou mesmo só de pensar pode sobrecarregar as pessoas com o transtorno.
As mulheres são quatro vezes mais propensas a desenvolver Síndrome de Fadiga Crônica, por razões que ainda não são totalmente claras - pode ser que certos hormônios ou diferenças química do cérebro contribui para os sintomas.

4. Depressão
Especialistas são bastante claras sobre o fato de que a depressão é duas vezes mais comum em mulheres do que em homens, cerca de um em cada cinco mulheres desenvolvem depressão em suas vidas. Mas são menos claras sobre o porquê que ocorre.
É provável que existam razões biológicas por trás da disparidade. Por exemplo, entre a menstruação, parto e menopausa, as mulheres geralmente têm muito mais flutuações hormonais durante toda a vida do que os homens, o que pode afetar o humor.

Mas, há também explicações psicológicas - mulheres, em geral, tendem a ser mais "ruminativo" do que os homens, o que pode predispor à depressão, há o fato de que as mulheres são muito mais propensas a falar com um médico sobre os sintomas de depressão, levando a maiores taxas de diagnóstico.

5. A Doença Celíaca
Doença celíaca - uma reação imunológica negativa a comer glúten, que é uma proteína encontrada no trigo, cevada e centeio - ocorre mais frequentemente em mulheres do que nos homens: Entre 60 e 70% dos indivíduos com diagnóstico de doença celíaca são mulheres.
Quando a maioria das pessoas pensam em celíaca, eles pensam de problemas gastrointestinais, tais como perda de peso, inchaço, dor intensa no estômago e diarreia, mas algumas evidências sugerem a doença e que também toma um pedágio em capacidade reprodutiva da mulher.

De fato, estudos têm relacionado celíaca com distúrbios menstruais e infertilidade inexplicada, embora essa ligação não fosses estabelecida definitivamente. Mas dado que a idade média de diagnóstico é 45 anos, e que pode levar até 10 anos para receber um diagnóstico, é possível que a doença cause danos nos sistemas reprodutivos de algumas mulheres por anos antes de obter ajuda.

6. Síndrome do Cólon Irritável
Síndrome do Intestino Irritável, ou IBS é uma doença comum que afeta o intestino grosso, normalmente provoca cólicas, dor, inchaço, gases, diarreia e constipação de forma consistente por pelo menos três meses - e ela afeta mais as mulheres do que os homens.
Existe até 3,5 milhões de consultas médicas anuais Síndrome do Cólon Irritável nos EUA a cada ano (embora muitas pessoas não reconhecesse os sintomas da SII em si mesmos e não procuram ajuda), e até 65% dos indivíduos que relatam ter IBS são mulheres. As causas são desconhecidas. Porque as mulheres são mais propensas que os homens a ter IBS - e seus sintomas são muitas vezes pior em torno de seus períodos - hormônios são pensados ​​para desempenhar um papel.

7. Infecções Sexualmente Transmissíveis
As estimativas sugerem que cerca de 19 milhões de novas infecções sexualmente transmissíveis ocorrem nos EUA a cada ano, e enquanto eles afetam, as mulheres têm problemas mais frequentes e mais graves para a saúde a partir deles que os homens.
Há 100 números de razões para isso - o revestimento da vagina é mais delicado do que a pele no pênis, o que significa que é mais fácil para as bactérias e vírus penetrar; as mulheres são menos propensos a ter sintomas de doenças como a clamídia e gonorreia ou amortizar sintomas como uma infecção por fungos, o que significa que muitas vezes não recebem tratamento até sérios danos for feito.
A boa notícia é que as mulheres são mais propensas que os homens para ir ver os seus médicos em geral, e não se esqueça de pedir testes, enquanto for fazer uma consulta.

A obesidade não é um problema exclusivamente feminino mas é com certeza um dos problemas mais preocupante para as mulheres além de ser um problema de saúde é também de beleza estética.
A obesidade traz consigo vários riscos a saúde em um nível mais elevado como a obesidade II e III a pessoa passa a ter pressao alta, diabetes tipo 2, colesterol, inchaço, fadiga e outros.
A maioria das pessoas obesas são devido à má alimentação e sedentarismo, isso complica outros riscos a saúde da mulher como câncer de mama, outros canceres, distúrbios menstruais, cólicas, dor de cabeça, osteoporose e outros.
Pesquisas já demonstraram que alimentação incorreta e falta de atividade física aumenta os riscos de todas as doenças citadas e a não mudança de habito compromete o resultado do tratamento. Inicie com um bom plano diário como uma boa dieta para emagrecer e exercícios leves.

Um comentário:

  1. O Dia Da Mulher é uma data muito importante, por isso dicas para a saúde sempre cai bem.

    ResponderExcluir

- Amores a opinião de todos é de grande importância para mim, por isso não passem aqui sem comentar.

Beijos queridos e voltem sempre.